A Gestão da tecnologia em prol da sociedade

18/01/2017

 

 

A Gestão da tecnologia em prol da sociedade 

 

O antigo deus egípcio Thoth, inventor de muitas ciências e técnicas, durante o encontro com o rei Tamuz, deus dos sumérios conhecido como Dumuzi e pelos egípcios como Hórus, apresentou-lhe a arte da escrita, afirmando a necessidade de propagá-las entre as pessoas. Thoth argumenta ainda que a escrita tornará os egípcios mais sábios e com melhor memória. No entanto, Tamuz o adverte de que a descoberta provocará, nas almas, o esquecimento de quanto aprendem, devido, justamente, à falta de exercício da memória: confiadas na escrita, não obterão as recordações por si mesmas, mas por meio de algo externo.

 

A cada dia que passa nos sentimos mais preocupados com as mudanças causadas pela tecnologia.  De certa maneira, Tamuz estava certo. Compare a nossa habilidade de memorizar com a das pessoas com tradições orais que conseguem repetir histórias, poemas e o número de telefone - e, no entanto, nossa cultura moderna parece ruim de memória. Na maior parte da história da humanidade, era comum a memorização de livros inteiros, uma habilidade que se tornou antiquada, e, desta forma, não é mais praticada. O ato de escrever nos forneceu um histórico coletivo que pode ser visto e ampliado a qualquer momento, permitindo às pessoas ampliar e censurar o trabalho do outro. Existe uma preocupação grande sobre o impacto da tecnologia e suas consequências, pois a tecnologia tem o potencial de capacitar e mudar o mundo. Os críticos sobre o impacto da tecnologia na sociedade apontam o aumento na obesidade infantil; comportamentos com tendência ao vício e ao isolamento devido ao uso excessivo de mídias e compreensão reduzida na leitura de fontes eletrônicas em relação à leitura de material impresso. Contudo, muitos desses aspectos estão sendo abordados por novas adaptações tecnológicas e novas formas de usar as tecnologias existentes. Atualmente os jogos são desenvolvidos para incluir a colaboração dos participantes e interações no mundo real. Os aspectos dos jogos que os tornam viciantes estão sendo estudados e controlados para fornecer experiências de aprendizado mais relevantes.  Cada descoberta tem a possibilidade de produzir efeitos positivos e negativos, e a tecnologia é um amplificador dessa dualidade. As descobertas científicas estão sujeitas à mesma dualidade - a energia nuclear pode ser usada de maneira positiva, como uma fonte de energia abundante, ou pode ser usada de forma negativa, para fazer armas destruidoras. Um ponto importante a ressaltar aqui é que talvez não seja possível parar o processo acelerado das invenções e tecnologias, mas podemos e devemos gerenciar como elas serão usadas em nossas vidas. Precisamos ser muito claros sobre o que queremos da tecnologia, para que seus efeitos negativos continuem sendo freados e seus efeitos positivos continuem sendo intensificados. Precisamos ser assertivos sobre o uso da tecnologia como uma ferramenta de empoderamento para atingir nossos objetivos, não apenas pelo seu convite como novidade ou apoio. Nossas propostas de ensino precisam se concentrar nos objetivos universalmente positivos da construção de competências, habilidades e sabedoria de todos os alunos. Todos os estudantes precisam aprender a considerar os resultados de suas ações, agir de forma consciente, além de refletir e adaptar-se às mudanças do mundo.

 

 

Compartilhar no Facebook
Please reload

Posts Em Destaque
Posts Recentes

Palestra com Prof. Carlos Dorlass - "A quarta Revolução e seus impactos na Educação"

May 14, 2017

1/10
Please reload

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square